Calendário Maia - Calendário Sagrado - Tzolkin


4 (Quatro)

Nome Calendário Maia Yukateko (técnico): Kan
Nome Calendário Maia Yukateko (popular): Kan
Nome Calendário Maia K’iche’: Kajib’
Nome Calendário Asteca: Nawi/Nahui

NOTA: As informações contidas nesta página são oriundas de publicações e documentos selecionados. Privilegiamos fontes acadêmicas e nativas por compromisso ético. Não recomendamos qualquer uso descontextualizado do conteúdo.


Número quatro
Número quatro.

Representação antropomorfa do número quatro
Representação antropomorfa
do número quatro.

NA EPIGRAFIA:
Segundo John Montgomery, o número quatro, em sua versão antropomorfa, representa a divindade-Sol, ou Jun Ajaw, que é identificada por seu contorno quadrado no olho e uma pupila quadrada; normalmente traz também o símbolo da “flor” k’in de quatro pétalas na testa ou na parte de trás da cabeça. A figura pode incluir eventualmente um dente frontal em formato de “T” invertido, além de uma barbatana na lateral da boca. Esta barbatana pode referir-se às entidades heroínas gêmeas do Popol Wuj, Junajpu e Xbalamke, que renasceram como bagres após serem derrotadxs pelxs deusxs da morte.

NA ETNOGRAFIA:
No calendário maia K’iche’ de Nawalja’, o conceito relacionado ao número Kajib’ (quatro) é Chakalik; algo que está parado sob quatro pilares, o que está firme, fixo, estável, ou que também pode representar falta de dinâmica.

VOLTAR