Calendário Maia - Calendário Sagrado - Tzolkin


13 (Treze)

Nome Calendário Maia Yukateko (técnico): Oxlajun
Nome Calendário Maia Yukateko (popular): Oxlahun
Nome Calendário Maia K’iche’: Oxlajuj
Nome Calendário Asteca: Matlaktliommey

NOTA: As informações contidas nesta página são oriundas de publicações e documentos selecionados. Privilegiamos fontes acadêmicas e nativas por compromisso ético. Não recomendamos qualquer uso descontextualizado do conteúdo.


Número treze
Número treze.

Representação antropomorfa do número treze
Representação antropomorfa
do número treze.

NA EPIGRAFIA:
Segundo John Montgomery, o número treze, em sua versão antropomorfa, representa uma variação do homem jovem associado ao número 3. Ele tem um ornamento de cabeça específico e que pode trazer um disco à sua frente. A fita com a qual amarra sua cabeça faz lembrar o glifo para “telhado de palha”, e o jovem também pode trazer o infixo do sinal “vento” em sua bochecha ou num ornamento de orelha. No caso do número treze, o homem traz sua mandíbula descarnada, numa alusão à combinação entre o número três e o número dez, que está atrelado ao deus da morte.

NA ETNOGRAFIA:
No calendário maia K’iche’ de Nawalja’, o conceito relacionado ao número Oxlajuj (treze) é le nima’q taq: o maior, o mais acumulado.

VOLTAR