Calendário Maia - Calendários Sagrado - Tzolkin


Caveira/Caminho

Nome Calendário Maia Yukateko (técnico): Eb’
Nome Calendário Maia Yukateko (popular): Eb
Nome Calendário Maia Ch’ol: Eb’
Nome Calendário Maia K’iche’: Ee
Nome Calendário Mexica/Nahua (Asteca): Malinalli
Nome Calendário Zapoteca: Pija

Conhecido como Caveira (Crânio), Caminho, Estrada, Erva ou Vassoura.

NOTA: As informações contidas nesta página são oriundas de publicações e documentos selecionados. Privilegiamos fontes acadêmicas e nativas por compromisso ético. Não recomendamos qualquer uso descontextualizado do conteúdo.


Ee

SIGNIFICADO DO GLIFO:
No lado direito superior são as orelhas que significam o caminho; as curvas e os pontos são as pedras colocadas ao lado do caminho. Tem a característica especial de ser sempre representado com um nariz achatado que representa as pegadas em uma escadaria.

NA EPIGRAFIA:
De acordo com John Montgomery, a forma personificada lembra o crânio esquelético do deus da morte, com seu maxilar descarnado, e é facilmente confundido com o glifo do dia Kimi. Entretanto, entre suas características distintas está o elemento Kawak, ou “cacho de uvas”, gravado na parte de trás da caveira. Exemplos mais antigos de Eb’ retratam apenas o maxilar descarnado.

Para David Stuart, significa Dente. As primeiras representações visuais do glifo do décimo segundo dia enfatizam dentes em uma mandíbula descarnada. Os nomes maias Eb ou Eh, dependendo da língua, possivelmente derivam de palavras para “dente”, e’ ou eeh. Em exemplos posteriores do glifo maia, o maxilar descarnado compunha uma forma parecida a uma caveira, mas ainda com aparência diferente da caveira genérica do sexto dia, Kimi ou Chame.

EM DOCUMENTO MAIA CONTEMPORÂNEO:
Literalmente caminho, dente. Símbolo da análise do que pode ser feito, pesando suas próprias habilidades, desejos e necessidades. Dia para descobrir suas próprias capacidades e talentos, para se orientar e buscar respostas às perguntas sobre o sentido da vida. Simboliza o caminho do destino, o guia que nos leva a um ponto objetivo e preciso. É a energia da ação, a energia que adquire experiência abrindo caminhos. É o nawal de todos os caminhos e direções. É guia e protetor dos comerciantes. Este nawal é engendrado no dia K’at (K’an) e seu destino é marcado pelo dia Junajpu (Ajaw).

VOLTAR