Calendário Maia - Calendário Sagrado - Tzolkin


Abutre/Coruja

Nome Calendário Maia Yukateko (técnico): Kib’
Nome Calendário Maia Yukateko (popular): Cib
Nome Calendário Maia Ch’ol: Chib’in
Nome Calendário Maia K’iche’: Ajmaq
Nome Calendário Mexica/Nahua (Asteca): Cozcacuauhtli
Nome Calendário Zapoteca: Loo, Guillo

Conhecido como Abutre ou Coruja.

NOTA: As informações contidas nesta página são oriundas de publicações e documentos selecionados. Privilegiamos fontes acadêmicas e nativas por compromisso ético. Não recomendamos qualquer uso descontextualizado do conteúdo.


Ajmaq

SIGNIFICADO DO GLIFO:
O glifo significa a mente em estado de perdão e ilusão. É um cérebro do qual saem raios e linhas de expansão para todos os lados.

NA EPIGRAFIA:
De acordo com John Montgomery, representa essencialmente o glifo do dia K’an de cabeça pra baixo, com a área circular convertida a um triângulo ou um estreito contorno com sua localização invertida. O todo pode representar a seção transversal de uma concha univalve.

Para David Stuart, em termos de significado este é provavelmente o mais obscuro dos dias maias. Em boa parte da Mesoamérica esse dia é “abutre”, mas entre os maias seu significado é bem mais incerto. Em Yukateko, Kib’ é uma palavra para “cera de abelha”, mas é difícil de relacionar com o glifo antigo. Visualmente, o glifo do dia também é difícil de decifrar.

EM DOCUMENTO MAIA CONTEMPORÂNEO:
Literalmente análise e reflexão. Símbolo de avaliação pessoal e autocrítica. Dia para avaliar criticamente as situações familiares, profissionais e financeiras, também para reconhecer erros e aprender com eles. É o perdão e o pecado, representa o mais obscuro da noite e o primeiro raio de luz, dualidade perceptível neste glifo. Representa as avós e avôs, a sabedoria ancestral. Este glifo é engendrado no dia Q’anil (Lamat) e seu destino é representado pelo glifo K’at (K’an).

VOLTAR