Calendário Maia - Calendário Sagrado - Tzolin


Vênus/Coelho

Nome Calendário Maia Yukateko (técnico): Lamat
Nome Calendário Maia Yukateko (popular): Lamat
Nome Calendário Maia Ch’ol: Lamb’at
Nome Calendário Maia K’iche’: Q’anil
Nome Calendário Mexica/Nahua (Asteca): Tochtli
Nome Calendário Zapoteca: Lapa

Conhecido como Vênus, Estrela, Planeta ou Coelho.

NOTA: As informações contidas nesta página são oriundas de publicações e documentos selecionados. Privilegiamos fontes acadêmicas e nativas por compromisso ético. Não recomendamos qualquer uso descontextualizado do conteúdo.


Q’anil

SIGNIFICADO DO GLIFO:
O glifo representa uma perfuração sobre a terra com o Tixjob, que é usado para separar a terra e depositar as sementes, e as quatro sementes, que representam as quatro cores do milho: vermelha, negra, branca, amarela.

NA EPIGRAFIA:
De acordo com John Montgomery, é o glifo “Vênus” ou “estrela”. Sua forma simbólica representa uma área esquartejada por linhas curvas, com cada uma das quatro partes contendo um pequeno círculo. A forma personificada representa um animal não identificado que tem metade da “estrela” gravada na parte de trás da cabeça ou em qualquer outro lugar. Em uma variante encefálica a “estrela” representa um par de olhos, sobre os quais pende uma franja de “cabelo” ou um elemento que lembra Imix.

Para David Stuart, a origem visual deste dia é uma representação de uma estrela, com sua forma pontiaguda mais claramente indicada em representações mais antigas. Os nomes desse dia causam uma boa confusão, entretanto. O significado mexica desse dia é “coelho”, mas nenhuma língua maia sugere o mesmo significado. Ao invés disso, encontramos os nomes Lamat ou Lambat, que fazem pouco sentido etimologicamente. Em algumas línguas maias esse dia é chamado Q’anil, e é interessante que nas línguas de Chiapas é semelhante a k’anal ou q’anal, a palavra para “estrela”.

EM DOCUMENTO MAIA CONTEMPORÂNEO:
Literalmente linhagem e consenso. Símbolo da sobrevivência da cultura e da natureza. Equilíbrio ecológico e responsabilidade humana, no sentido social simboliza humanidade. Significa germe, semente, vida e criação. É um dia para evitar todo tipo de discriminação e para promover a diversidade cultural. Este glifo foi engendrado em um dia Junajpu (Ajaw) e seu destino é representado pelo nawal Ajmaq (Kib’).

VOLTAR